E aí jogadores!?

O PS3 e Xbox 360 estão nos nossos lares a 10 anos. Acredite.

O tempo médio de duas gerações.

Como isso foi possível?

Simples: hardware bem além do seu tempo.

Quando os consoles da sétima geração foram lançados eles utilizavam uma arquitetura diferente dos PC`s.

Enquanto usávamos computadores com os seus “incríveis” dual cores, o Xbox 360 possuia um triple core de 3.2 ghz! E o PS3 emulava 7 cores. Sem falar que a arquitetura era dedicada para jogos – RISC. Isso dá um boost de desempenho incrível.

Quando o primeiro Gears of War foi lançado em 2006 lembro que meu irmão ligou para mim, sim usávamos telefone, dizendo que era possível notar até as gotas da chuva deslizando pelo rosto dos personagens. Não acreditei. Perguntei se era “poligo” (gíria de polígono) ou era textura. Ele me respondeu acreditar que era polígono. Endoidei. Queria testar aquilo.

Na época eu tinha um Wii e era muito feliz. Nem queria saber de outro console (fanboy detected).

Por decisão do destino, um amigo meu queria um Xbox 360 e eu tinha um contato nos USA. Pedi para esse contato trazer para ele. Qual o jogo vinha? Adivinham? O próprio: Gears of War. Aí pensei, vou testar, de grátis!

Rapaz….Quando comecei a jogar, ver a jogabilidade, gráficos de filmes, serras contando um Locust ao meio e vendo as tripas aparecendo… Fiquei chocado. Imagine um fanboy da Nintendo habituado a jogar Mario, Zelda e Metroid, tudo feliz, colorido e perfeito… Foi um choque misturado com admiração pela qualidade geral do game. O que eu fiz? Liguei para o meu amigo que pediu o 360 e disse: “Perdeu meu irmão, vou ficar com o videogame”. Sacanagem… Vocês não fariam o mesmo? Eu estava com dinheiro na mão, console na mão, aí já viu. Bom, continuando com a saga, a sétima geração provou a que veio. E a tual? Porque ela já aparenta cansaço frente ao PC em menos de 2 anos? Simples: a Microsoft e a Sony perceberam que um console caro não gera lucro imediato. Ambas empresas perderam muito dinheiro nos primeiros anos dos consoles da geração passada devido ao altos custos de produção e preços elevados de venda. Tiveram até que vender por valores menores que o de fabricação para ganhar a longo prazo. Elas aprenderam com a Nintendo e seu Wii, que era mais simples e barato. Então escolheram a arquitetura CISC de PC’s. Traduzindo: O PS4 e Xbox One é uma Steamachine, ou seja, um PC. Sabemos que o PC evolui a cada 6 meses ou menos, já um console não. Por isso vemos o mesmo jogo rodando em 60fps no PC e 30fps nos consoles, com as outras mesmas configurações. Será que as gigantes dos games não sabiam que isso iria acontecer? Gamers, acreditem, elas sabem de tudo. Então qual é a vantagem, fora a redução de custos e aumento de lucros? Quer mais vantagem? A atual geração vende 40% mais e lucra outros tantos. Mas tem sim outras vantagens. A próxima geração em 2018. Mas já? Sim. Já. Só que tem um detalhe importante: Lembra daquele jogo velho de 2001 ou 2004 que você ainda joga até hoje no PC? Pois é, será possível fazer isso daqui por diante nos consoles, nativamente, igual ao Steam. Todo jogo terá seu valor de venda quase eterno. Outra vantagem da próxima geração: Uso do “Poder da Núvem”. É, da próxima geração em diante tudo indica que não será preciso trocar de console. As marcas Playstation e Xbox serão serviços online de jogos por streaming, como o saudoso Onlive ou o beta Playstation Now. Sim, mas poderei jogar meus discos físicos? NÃO e SIM. Como será feito no fim do ano no Xbox One com os jogos de Xbox 360: Baixar tudo. Porém como provavelmente não terão entrada para discos, assim reduzindo custos de produção, será exigido algum código do disco para realizar o download. É isso.

Aproveitem seus consoles. Até 2018.

Escrevam nos comentários, curtam e compartilhem nas redes sociais.

5 thoughts on “PS4 & Xbox One – Geração Curta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website