E aí jogadores!? Não poderíamos terminar 2015 sem falar de um dos mais cultuados jogos de FPS (Tiro em Primeira Pessoa, em inglês) lançado no ano. Estamos tratando de Halo 5: Guardians, jogo exclusivo do Xbox One. Halo 5 tem suas particularidades que o faz ser único, as quais trateremos. Confesso que nunca fui muito fã da série. Joguei o Halo 1 no PC, onde tive a minha primeira experiência online: fiquei doido com a possibilidade de jogar com outro ser humano em outro país! Gostei. Depois tive o 3, o Reach e o 4 no Xbox 360. Nesses nem toquei no modo multiplayer. Um pecado, mas estava ocupado com Gears of War, Call of Duty e Battlefield. Foi quando a quinta versão seria lançada para o novo console da Microsoft e pensei: Rapaz, esse jogo tem até campeonato E-Sports, será que é ruim mesmo o multiplayer? Arrisquei. Não me arrependi. Halo 5 é frenético, som ímpar, gráficos e efeitos de primeira, mas sem chamar muita atenção, roda a 1080p dinâmico e 60fps e possui uma jogabilidade fácil e agradável. Hoje não fico um dia sem jogar uma partida no modo Arena, tipo mata-mata. É gratificante quando o comentarista diz que você fez um abate triplo, quando quase morreu ou é o melhor da partida após meter a mão na cara dos outros após uma rajada de balas. Muito bom. E por falar em balas, elas podem ser sentidas a cada tiro pressionado no gatilho. Surreal. Uma dica: deixe o preconceito de lado pela temática futurista, saltos gigantes, cores berrantes e teste o jogo, vai morrer muito no início, mas quando entender a sua jogabilidade e conhecer os cenários vai se surpreender, a 343 Industries fez seu dever de casa, mas não espere muito da campanha single player, a cereja do bolo está mesmo no multiplayer.

Curtam o final do ano com nossas observações do jogo nesse vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Website